sábado, 22 de janeiro de 2011

MINHA ESPOSA FOI PROSTITUTA POR UMA HORA


MINHA ESPOSA FOI PROSTITUTA POR  UMA HORA



Um dia eu e minha esposa viajamos para uma cidade no interior de São Paulo. Bauru... Uma cidade conhecida e que tem suas noites badaladas por algumas prostitutas... Essa cidade já foi até conhecida como cidade da prostituta... Estávamos hospedados em um hotelzinho no centro mesmo. Eu e minha gata estávamos realizando um trabalho cultural na cidade e sempre depois das 23 horas retornávamos ao nosso quarto de hotel e ai fazíamos o que sempre mais gostamos... TRANSAR... Mas nesta noite enquanto retornávamos a minha gostosa esposa teve uma imaginação de fazermos algo diferente. Se vestir de prostituta e dar uma volta pela rua da cidade...
Então fomos direto ao hotel e lá ela começo a se preparar, se reproduzir. Um salto de quase dez centímetros, sombra forte nos olhos, batom cor do carmim, perfume, e uma minisainha, uma miniblusinha, uma bolsinha, e ainda para completar prendeu os seus lindos cabelos... Nossa depois de pronta, acredite, que eu comeria a minha esposa pensando que fosse outra... Antes de sairmos do hotel dei um gostoso maia na minha esposa. Minhas mãos passearam naquele gostoso corpo acariciando-a com carinhos aquelas deliciosas curvas. Isto provocou tremores e uivos na minha loba no cio. Seu corpo estremecia de tanto tesão. Não podia continuar senão a minha gata iria gozar ali mesmo e não queríamos isso antes da nossa fantasia.
Saiamos então para o local que as prostitutas ficavam. Combinamos algo antes de sair para se surgissem algum imprevisto soubéssemos lidar com a situação. Ela não poderia ficar parada, em algum ponto porque senão as prostitutas iriam lhe incomodar, então decidimos que ela andaria feito uma prostituta umas quatro quadras somente.
Minha esposa desceu do carro no local e saiu andando como tal. Pra falar a verdade nenhuma daquelas prostitutas que estavam ali me chamavam atenção, pois a minha gata era mil vezes melhor, mil vezes mais atraente e mais a linda mulher que me transportava a uma dimensão de prazer. Meu pau nesse momento explodia de tesão. Meus olhos acompanhavam a distancia aquela fêmea deliciosa e de onde me encontrava podia notar os olhares de homens e de algumas mulheres que a encarava como se quisesse dizer, “temos carne nova no pedaço”. Mas eu acompanhava e não a perdia de vista. Não podia deixar aquele mulherão a solta que logo estaria alguém dando em cima.
Eu já nem mais conseguia dirigir o carro de tanto tesão. Ela estava demais e eu não conseguia mais me controlar. Minha esposa sabia o meu ponto fraco e fazia questão de mostrar o que sabia para ver eu me ardendo de tesão para depois eu come-la da forma que ela mais gostava. Uma esposa perfeita e feita de experiência, e de encantos.
Então me aproximei dela na calçada.. Abaixei o vidro do carro, e ela se aproximou, perguntei quanto era o programa, e ela sem exitar disse o valor, então topei e fomos em seguida para um motel. No caminho em momentos algum tratamos um ao outro como esposo e esposa, mas sim como um cliente e uma bela prostituta. No caminho ela me perguntou onde morava, o que fazia, respondi sem pensar. Eu estava diante de uma profissional do sexo. Uma verdadeira máquina de fazer sexo. Um gozo continuo que não prometia parar tão logo nos envolvia e nos aguardava tão assim que chegássemos ao motel. Logo, em alguns momentos estaríamos um no outro perdidos entre gemidos, sussurros, palavras, e prazer.
Chegamos ao motel, dentro do quarto. Ela tirou uma camisinha e me entregou. Ela tinha pensado em tudo, bem antes. Nossos corpos estavam tomados de uma sensação de puro extâxe. Com o tesão que minha esposa estava, eu sentia que podia fazer o que quisesse. Ela estava pronta para a entrega... Nós não suportávamos mais agüentar. Então reagi. Ela se sentou na beira da cama e eu parei em frente e inclinei suavemente e toquei com os meus lábios em seus mamilos que já estavam de fora. Nessa hora ela extremeceu de tesão, então suguei os biquinhos de seus seios com intensidade entre gemidos e palavras envolvi o corpo de minha gata num abraço forte, enquanto ela apertava o meu pau, quase sem domínio próprio e o seu corpo suado escorregava em minhas mãos. Estávamos nos maltratando para segurarmos o nosso gozo.
Ah! Meu amor você me enlouquece, murmurou a minha esposa. Quero vc dentro de mim agora. Neste momento aproximei os meus lábios do dela e a beijei cm paixão. Ela parecia que queria me engolir, por me todo dentro de si, então nem percebi, quando me dei por conta o meu pau estava dentro de sua deliciosa xaninha. Eu sentia a sua bucetinha mordendo o meu pau, parecia que a minha mulher queria arrancar o meu pau para ficar dentro dela pra sempre... Eu já não resistia mais segurar o meu gozo, sentia que estava vindo e ia estourar. Ela mexia, se retorcia, gemia, e dizia ahhhh vai acontecer agora, agora e então liberamos juntos. Foi como a gente viajasse a um outro mundo. Abraçados parecia que não iríamos mais desgrudar.
Não havia lugar para pensar em trabalho, ou qualquer outra coisa era só eu e você. Nossos olhares entendiam o que o nosso corpo desejava e nem precisávamos falar uma para outro como queríamos fazer. Éramos levados por um guia por nome desejo. Nesse momento eu não sabia quem eu era, pois os nossos corpos se misturavam e nenhum de nós pertencia a si próprio. Éramos nossa própria essência. Nossas respirações ofegantes, as doces caricias, o amor, tesão, enfim tudo num mesmo lugar se resumia ali. Eu era você e você era eu, até que mais uma vez nossos sexos liberam os nossos gozos e perdidos entre o cansaço e suores deixamos os corpos se prenderem a cama.  Sua bocetinha encharcada com os nossos gozos parecia agradecer, mas eu ainda tomado pela aquela gostosa fantasia de você ser uma prostituta, levei a minha boca em sua xaninha e comecei a lambe-la, suga-la, então senti que dentro de poucos segundos você começou a delirar novamente de tesão, então deixei a minha língua escorregar até ao seu cuzinho e foi o suficiente para você ficar a mercê da minha vara que já se encontrava dura...  Assim apenas em alguns movimentos você se encontrava de quatro.
Uma visão maravilhosa eu contemplava. Levei o meu pau a sua bundinha e comi o seu delicioso cuzinho o qual você nem fez questão de dizer nada a num se quando gozei e estava saindo que você disse. Olha para comer o meu cuzinho é mais caro viu....




Francis Perot